24 de abril de 2020 gesto.corretora

Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial

A hipertensão arterial é uma doença crônica que tem como característica a elevação da pressão sanguínea nas artérias. Seus fatores de risco são predominantemente a hereditariedade (carga genética), o estilo de vida sedentário, alimentação desequilibrada (elevado consumo de sal, altos níveis de colesterol), consumo de bebidas alcoólicas em excesso e fumo. 

Infelizmente, os sintomas desta doença só aparecem quando os níveis pressóricos estão bastante alterados, por isso, muitas vezes é chamada de “mal silencioso”. Alguns sintomas muito característicos são: dor de cabeça (mais especificamente na região da nuca), tonturas, visão embaçada, zumbido no ouvido, dores no peito e em alguns  casos, sangramento no nariz. Em razão disso, é muito importante o cuidado, diagnóstico e tratamento precoce, a fim de evitar danos maiores devido ao descontrole da patologia.

Sabemos que os cuidados preventivos impactam seriamente no “não desenvolvimento” de doenças crônicas e na melhora da qualidade de vida e controle de caso das pessoas que convivam com elas. Mas como se prevenir?

 

  • realize a aferição da pressão regularmente (meça sua pressão!), pois é a única forma de diagnosticar a doença. Populações acima de 20 anos de idade devem aferir a pressão ao menos uma vez por ano. Se houver hipertensos na família, deve-se medir no mínimo duas vezes por ano.
  • cuide da alimentação: a recomendação principal neste caso é evitar o consumo frequente de alimentos superindustrializados como temperos prontos, refeições congeladas, embutidos (linguiças, salsichas, salames), entre outros (que contenham uma alta concentração de sódio). O ideal é manter uma alimentação mais natural e utilizar temperos também naturais (como salsinha, manjericão, tomilho, etc) que realcem o sabor da comida e façam com que a necessidade do sal não seja tão grande. 
  • adapte seu paladar: essas mudanças na alimentação requerem uma certa “paciência” para adaptar o seu paladar que era acostumado com muita quantidade de sal, aos poucos, você nem sentirá falta.
  • hidrate-se sempre muito bem!
  • peça ajuda para abandonar o hábito de fumar.
  • não seja sedentário: pratique atividade física de sua preferência e com orientação profissional no mínimo três vezes por semana.
  • caso você já seja diagnosticado hipertenso é muito importante manter o acompanhamento médico e controle medicamentoso conforme orientação do especialista para a patologia ser considerada estabilizada. A base de dados do BI da GESTO mostra que de um total de 28% de crônicos no ano de 2019, que totaliza aproximadamente 232 mil pessoas, apenas 7% se consultaram com um especialista em cuidados que podem ajudar na prevenção e controle das doenças crônicas (nutricionista ou médico nutrólogo).

Conforme o momento atual, é importante ressaltar que indivíduos com doenças crônicas são grupo de risco para a COVID-19 e podem ter uma taxa de mortalidade até nove vezes maior comparada à uma pessoa sem doenças preexistentes, isso porque essas doenças promovem enfraquecimento do sistema imunológico e maior “stress” sistêmico, reduzindo a capacidade de defesa do nosso organismo.

A hipertensão não tem cura, mas pode ser controlada com um estilo de vida equilibrado, bem como podemos antecipar os cuidados de prevenção para não desenvolvê-la.

, , , , , ,