27 de março de 2020 gesto.corretora

Posicionamento das entidades europeias

Autoridades do Governo da Espanha e de Portugal afirmaram que é errada a orientação do Ministério da Saúde da França.

A Agência Espanhola de Medicamentos e Produtos Sanitário (AEMPS) admitiu que o Comitê de Avaliação de Risco de Farmacovigilância está revendo a suposta relação entre o ibuprofeno e a piora da infecção. “Espera-se que esta análise em nível europeu seja concluída, de acordo com a nota do Ministério da Saúde da Espanha em maio de 2020, mas com as informações disponíveis hoje em dia, é complexo determinar se essa associação existe”.

A Infarmed, Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde de Portugal, publicou uma nota no qual esclarece que não existem, atualmente, dados científicos que confirmem um possível agravamento da infeção por COVID-19 com a administração de ibuprofeno ou outros anti-inflamatórios não esteroides.

A agência orientou que o tratamento sintomático da febre deve ser realizado através do uso de paracetamol como primeira alternativa. No entanto, também não há evidências para contraindicar o uso de ibuprofeno.

O Conselho de Hipertensão da Sociedade Europeia de Cardiologia que apresenta a seguinte orientação “O Conselho recomenda fortemente que médicos e pacientes continuem o tratamento com a terapia anti-hipertensiva habitual, porque não há evidências clínicas ou científicas que sugiram que o tratamento com ACE ou ARB [fármacos anti-hipertensivos] seja interrompido por causa da infeção por Covid-19”.

Por Fábio Reis para PFARMA
15 de março de 2020
Atualizada em 17 MARÇO 2020

Link: https://pfarma.com.br/noticia-setor-farmaceutico/estudo-e-pesquisa/5255-ibuprofeno-cortisona-coronavirus.html

,